HomeInternacionalFalta de motoristas deve crescer 36% na Europa

Falta de motoristas deve crescer 36% na Europa

motoristas dirigindo um caminhão com vista para a rodovia

Falta de motoristas deve crescer 36% na Europa

A IRU (World Road Transport Organisation) realizou uma pesquisas entre pequenas e médias empresas de Transporte e Logística em vários países europeus, calculando a escassez de motoristas de caminhões no continente. O índice sobe de 23% em 2019 para 36% em 2020.

Segundo o relatório, a Polônia e a Romênia são dois dos países europeus mais impactados. Na Polônia, a escassez de motoristas é de 22% e deve subir 15 pontos este ano. Na Romênia, a situação é ainda mais crítica, pois a escassez de 50% de motoristas registrada em 2019 deverá atingir 62% este ano.

Leia também:

A falta de mulheres agrava a escassez de motoristas

A Polônia e a Romênia observam as taxas mais baixas de motoristas do sexo feminino na Europa – 2% da força de trabalho de motoristas comerciais. Os motivos que impedem as mulheres de ingressar na profissão incluem condições de trabalho difíceis, falta de áreas de estacionamento seguras e protegidas e longos períodos fora de casa.

“Para incentivar mais mulheres e jovens a entrar na profissão, é essencial que sejam feitas melhorias para garantir melhores condições de trabalho. Também é necessário haver um maior envolvimento do Estado na facilitação dos jovens para se tornarem motoristas qualificados e ajudá-los a superar os altos custos necessários para o treinamento e as qualificações. Assim como alterar os regulamentos de transporte. Para usar as qualificações adquiridas, os alunos devem poder trabalhar. No entanto, os regulamentos somente permitem que eles façam isso após os 21 anos de idade. Existe o risco de que, antes de atingirem essa idade, comecem a trabalhar em outro lugar e não voltem a essa profissão.” comentou Jan Buczek, Presidente da Associação Internacional de Transportadores Rodoviários na Polônia (ZMPD).

Idade mínima de 21 anos

Quando se trata de motoristas jovens, 11% da força de trabalho na Polônia tem menos de 25 anos, enquanto na Romênia, a idade média dos motoristas é de 41 anos. Embora esses números sejam melhores do que as médias européias – 7% dos motoristas europeus têm menos de 25 anos e a idade média dos motoristas comerciais é de 45 anos na Europa, ainda resta muito a fazer quando se trata de aproximar a profissão dos jovens.

Alta taxa de emigração piora a escassez de motoristas na Romênia

Na Romênia, uma das principais causas da escassez de motoristas está no alto número de pessoas que emigram. Dados oficiais mostram que nos últimos 10 anos 3,4 milhões de romenos deixaram o país.

“Há várias coisas que podem ser feitas para aliviar a preocupante e agravante falta de motorista na Romênia – incluindo a realização de treinamento para reconversão profissional do pessoal desempregado de outros setores; diminuindo a idade mínima para motoristas no país de 21 para 18; e importar uma força de trabalho não qualificada na UE ” comentou o Presidente da UNTRR, União Nacional de Transportadores Rodoviários da Romênia.

Soluções

A escassez de motoristas continua sendo um problema universal – em toda a Europa e além dela – e que a IRU está comprometida em trabalhar com seus membros e formuladores de políticas para ajudar a resolver. Algumas das ações concretas e soluções propostas da IRU incluem:

  • Reduzir e harmonizar a idade mínima para se tornar um motorista profissional;
  • Desenvolvimento de uma Carta Conjunta, juntamente com o Conselho Europeu de Transportadores (ESC), para melhorar o tratamento dos motoristas nos locais de entrega;
  • Criação e financiamento de mais e melhores áreas de estacionamento seguro para caminhões.

A IRU já está fazendo progressos significativos no combate à escassez de motoristas na Europa, garantindo um financiamento de 60 milhões de euros da UE para o desenvolvimento de Áreas de Estacionamento Seguro e Seguro para Caminhões (SSTPAs) e criando a iniciativa Women in Transport Talks para incentivar mais mulheres na profissão. Além disso, a IRU formou uma série de parcerias, inclusive com a OIT (Autoridade Internacional do Trabalho) e a ETF (Federação Europeia dos Trabalhadores em Transportes).

O Secretário-Geral da IRU, Umberto de Pretto, comentou: “Embora tenhamos conseguido sucessos e estabelecendo importantes trabalhos de base, mais ações, incluindo cooperação público-privada, são necessárias urgentemente, para garantir que nosso setor continue se esforçando e entregando, como a força vital da economia global.”

Metodologia da pesquisa

A pesquisa on-line de escassez de motoristas da IRU foi compartilhada com os membros da IRU e divulgada às empresas-membro. Os resultados de 2019 compartilhados neste documento foram coletados entre maio e junho de 2019. Para cada tópico ou dimensão, os resultados mostram a média dando um valor igual para todas as empresas.

Na Polônia, 60 empresas e organizações responderam entre maio e agosto de 2019 e na Romênia 96 empresas e organizações responderam. Os dados europeus referem-se aos resultados médios da amostra total de 965 respondentes de 10 países diferentes (Espanha, Reino Unido, França, Alemanha, Áustria, Holanda, Noruega, Polônia, Romênia, República Tcheca).

 

Fonte: IRU

Foto: Divulgação

Leia as nossas #dicas especiais AQUI!

Compartilhar com
Avalie este artigo