HomeTransporte HidroviárioMovimentação de cargas no Porto do Rio de Janeiro cresce 13,5% no 1° trimestre

Movimentação de cargas no Porto do Rio de Janeiro cresce 13,5% no 1° trimestre

Portal Estrada - Movimentação de cargas no Porto do Rio de Janeiro cresce 13,5% no 1° trimestre

Movimentação de cargas no Porto do Rio de Janeiro cresce 13,5% no 1° trimestre

O Porto do Rio de Janeiro movimentou 2,4 milhões de toneladas de cargas no 1° trimestre deste ano, superando em 13,5% o volume movimentado no mesmo período de 2021. A informação é da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), Autoridade Portuária responsável pela gestão do porto.

 A tendência observada em meses anteriores de crescimento na movimentação de cargas conteinerizada no Porto do Rio de Janeiro se manteve no 1° trimestre, com um acréscimo de 27,2% na movimentação de contêineres, em comparação ao 1° trimestre de 2021. Em TEUs, foram movimentados cerca de 128.342, o que representa um crescimento de 30,6%.

A Docas do Rio, que também administra os Portos de Itaguaí, Niterói e Angra do Reis, publica em seu site, mensalmente, um dashboard com dados atualizados de movimentação dos portos. Para acessar as informações detalhadas referentes ao desempenho dos portos no 1° trimestre deste ano, basta clicar no link.

Além disso, após um ano de implantação do Sistema de Gerenciamento de Acesso Docas (SGAD), no Porto do Rio de Janeiro, a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), as empresas arrendatárias dos terminais e os usuários do porto avaliam os impactos do controle informatizado do acesso terrestre. Com a automação do processo de permissão e do fluxo de caminhões e cargas, o porto ganhou em eficiência para todos os envolvidos na cadeia logística. Além da redução de custos, o sistema proporciona mais segurança e agilidade no processo.

O superintendente de Gestão Portuária do Rio de Janeiro e Niterói, Leandro Lima, lembra que antes da implantação do SGAD, as transportadoras reclamavam em relação à permissão de acesso ao porto, tendo em vista a demora para atendimento e o quantitativo de documentação física que deveria ser levada pessoalmente à Guarda Portuária. Além disso, qualquer veículo de carga podia acessar o porto, desde que cadastrado e estando o motorista de posse da permissão, mesmo sem motivação operacional. “O porto se tornava uma base de espera de serviços das transportadoras e veículos de cargas avulsos, gerando um acúmulo de carretas e, consequentemente, diversos problemas logísticos”, explica o superintendente.

Prestes a completar seis meses de funcionamento, o moderno Portão 32 do Porto do Rio de Janeiro já se tornou o principal acesso rodoviário ao porto, recebendo 53% do total de veículos, especialmente aqueles destinados aos terminais de cargas de contêineres. Com a utilização do novo portão pelas transportadoras, a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) e a comunidade portuária apontam que o tráfego de caminhões e carretas no Centro e no Caju foi sensivelmente reduzido, melhorando a mobilidade urbana.

 

Fonte: Portos do RJ

Foto: Divulgação

Portal Estrada – Negócios em Transporte & Logística

Compartilhar com
Avalie este artigo