HomeCaminhõesSeis informações que você precisa saber sobre o Arla 32

Seis informações que você precisa saber sobre o Arla 32

Portal Estrada - Seis informações que você precisa saber sobre o Arla 32

Seis informações que você precisa saber sobre o Arla 32

Desde 2012 que um novo termo passou a fazer parte do dia a dia de quem dirige ou cuida de uma frota de caminhões. Há 10 anos o Brasil adotou o Proconve P7 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos. Automotores) que tornou obrigatória a utilização do Agente Redutor Líquido Automotivo (Arla 32) em veículos automotores que utilizem diesel com o objetivo de diminuir a poluição.

“Esse produto é um líquido composto de 32% de uréia de alta pureza em água desmineralizada e que é injetado diretamente no catalisador do veículo. Uma reação química entre o Arla e a fumaça residual do processo de combustão, o gás poluente é transformado em nitrogênio e eliminado na atmosfera como vapor”, explica Miguel Seabra Neto, técnico responsável pela produção do Arla 32 da distribuidora de combustíveis ON Petro.

No mercado brasileiro, o uso do Arla 32 era exclusivo em caminhões, porém, com as novas normas antipoluição, alguns veículos menores também passaram a utilizar, como o Jeep Compass, a picape Fiat Toro, além da nova Iveco Daily 35-160 e da nova Renault Master.

E com a popularização do produto, algumas dúvidas surgiram. Confira abaixo a explicação de Seabra neto sobre seis informações que você precisa saber sobre o Arla 32.

1 – O Arla 32 faz mal à saúde?

O ARla 32 não é inflamável, tóxico ou nocivo ao meio ambiente. Em contatos breves com a pele, não causa irritação. Já no caso de contato repetitivo, é recomendável o uso de luva de PVC.

2 – Qual é o consumo desse produto?

O consumo de ARLA 32 é de aproximadamente 5% do volume consumido de diesel. Em geral, a capacidade do tanque deve ser suficiente para um reabastecimento a cada 3 ou 4 tanques de diesel. A necessidade de reabastecimento do ARLA 32 será indicada no painel do veículo.

3 – O que ocorre se acabar o ARLA 32 do tanque ou se for abastecido com produto errado?

Dependendo da categoria do veículo, o motor pode perder 25% ou 40% do seu torque até que o tanque seja abastecido corretamente. O motor só funcionará adequadamente com o produto fabricado de acordo com as especificações técnicas.

4 – Como armazenar o ARLA 32?

Em primeiro lugar, o Arla não pode ser misturado com nenhum outro componente, nem mesmo com água. Isso pode causar problemas como a perda de potência nos seus veículos.

A exposição à luz solar também deve ser evitada, assim como o calor e o frio excessivo. Dessa forma, o componente deve ser mantido em temperaturas médias controladas.

5 – Qual é a validade do Arla 32?

Em temperaturas médias (de até 30°C), o Arla 32 tem validade de 12 meses. Se a temperatura média ficar entre 30°C e 35°C, esse prazo cai para 6 meses. A exposição do produto à luz solar por muito tempo também deve ser evitada.

6 – Onde comprar o ARLA 32?

É essencial comprar o ARLA 32 de um revendedor autorizado e de confiança. Soluções de baixa qualidade certamente não terão o mesmo desempenho de um produto original e poderão danificar o catalisador do sistema SCR.

Além disso, os prejuízos a um caminhão que usa produto clandestino podem girar em torno de R$ 20 mil, quando é necessário repor peças danificadas, de acordo com o Instituto Combustível Legal.

 

Fonte: ON Petro

Foto: Divulgação

Portal Estrada – Negócios em Transporte & Logísticaonp

Compartilhar com
Avalie este artigo