HomeEventosSemana da Paixão Scania debate os desafios do transporte

Semana da Paixão Scania debate os desafios do transporte

Portal Estrada - Semana da Paixão Scania debate os desafios do transporte

Semana da Paixão Scania debate os desafios do transporte

O primeiro encontro da Semana da Paixão Scania não poderia ter sido mais direto ao assunto para quem vive o dia a dia do transporte. Com o tema: “Superar os desafios do Transporte”, a live trouxe para uma grande roda de conversa especialistas do setor, clientes e representantes de entidades do setor. Juntos, eles debateram sobre a realidade do transporte de cargas com o aumento de custos e a alta do diesel, entre tantos outros desafios que fazem com que a Scania pense em soluções e serviços cada vez mais eficientes.

No primeiro bloco, participaram Francisco Pelucio, presidente da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística); André Gentil, gerente de Vendas de Soluções para frotistas da Scania no Brasil; e Felipe Cordenonsi, diretor da Transportes Cordenonsi.

Francisco Pelucio evidenciou alguns dos principais desafios enfrentados pelos transportadores no Brasil e ressaltou como a entidade tem pleiteado melhorias junto aos órgãos nacionais. “Não são poucos os desafios para o transporte de cargas. Os aumentos são constantes em todas as frentes: óleo diesel, pneus, veículos, mão de obra. Também há o problema de falta de motoristas: há mais de 60 mil motoristas faltando aqui no Brasil. Estamos estudando como conseguir motivação para que os profissionais voltem a fazer cursos e treinamentos para acabar essa ociosidade. Junto dessas questões, temos ainda a falta de reposição, até na montagem dos veículos, a baixa qualidade as vias públicas, as cargas tributárias que fazem aumentar os custos de um caminhão e a capacitação dos motoristas, cada dia mais desafiadora”, menciona.

Para lidar com esses desafios, é importante buscar aliados. Um deles pode ser a conectividade dos veículos, pensada para trazer mais rentabilidade para as operações, disponibilidade para os caminhões e melhoria no estilo de condução dos motoristas – o que também contribui para a rentabilidade.

“Não basta possuir um caminhão econômico, tem que extrair o máximo que o veículo tem a oferecer. É por isso que temos utilizado muito a conectividade, gerando relatórios com dados operacionais, para levar para os clientes a indicação de possíveis caminhos e melhorias para que ele tenha o melhor que o caminhão pode oferecer”, explicou André Gentil, gerente de vendas de Soluções para Frotistas da Scania no Brasil.

Mas nada melhor do que ouvir do próprio cliente como ele tem feito para “fechar a conta do transporte”. Para Felipe Cordenonsi, diretor da Transportes Cordenonsi, rentabilizar o negócio diante desse cenário é mais que um desafio, mas um exercício diário. “Em nossos 40 anos de história nunca fomos tão desafiados a repensar nossa operação. A nossa estratégia precisa ser redesenhada constantemente para termos os custos na palma da mão e em tempo real. Avaliação diária de combustível da frota, antecipação de compras e insumos dentro das possibilidades com fluxo de caixa, renovação de frota para aumentar a disponibilidade do veículo na operação, capacitação dos colaboradores e avaliação dos contratos existentes, buscando equilíbrio, são alguns dos caminhos. Não existe uma receita pronta para o empresário se manter rentável, é um conjunto de atitudes que trazem o resultado em si para a companhia”, pontuou.

Além da conectividade, os serviços também são outro grande diferencial. Felipe Comelli, sócio proprietário do Grupo Comelli; Thiago Borges, gerente de vendas de soluções da Casa Scania Varella; e Felipe Angelini, responsável por soluções conectadas da Scania no Brasil falaram sobre este tema no segundo bloco do encontro.

“Através dos serviços Scania, conseguimos ter melhor gestão da frota, apoiando o cliente para que saber, por exemplo, quando o veículo precisa parar para fazer uma manutenção. Essas paradas são programadas e melhoram a disponibilidade da frota do cliente, porque paro no momento que faz sentido para ele e otimizo minha equipe, mão de obra e peças na oficina. Então, gero disponibilidade através da eficiência”, explica Thiago Borges, gerente de vendas de soluções da Casa Scania Varella.

“Serviços são mesmo um diferencial. Na minha operação, tenho que fazer a gestão da cadeia de planejamento de colheita, processamento e transporte, com uma grande frota para atender os clientes, mas não preciso ter o cuidado com a manutenção dentro da minha empresa pela facilidade que a Scania me oferece com os planos de manutenção. Isso me faz ter mais tempo para dedicar a cuidar do meu negócio, enquanto a Scania segue automaticamente cuidando do negócio dela, que é vender uma ferramenta produtiva e rentável e que entrega disponibilidade junto com os serviços”, endossou Felipe Comelli, sócio proprietário do Grupo Comelli.

“Já temos 56 mil veículos conectados e o que estamos fazendo com esses dados é desenvolver produtos e serviços melhores para nossos clientes. Nossos consultores também seguem apoiando nossos clientes, dando uma espécie de consultoria sobre como podem melhorar a operação”, reforça Felipe Angelini, responsável por soluções conectadas da Scania no Brasil.

Mas não parou por aí! Teve muito mais neste bate-papo, inclusive como a paixão por caminhões pode não somente ajudar a enfrentar os desafios do transporte como também impulsionar o transportador a conhecer e encarar novas oportunidades de negócios. Reveja o encontro e inspire-se com a riqueza dos depoimentos dos convidados desta primeira live:

 

Fonte: Scania

Foto: Divulgação

Portal Estrada – Negócios em Transporte & Logística

Compartilhar com
Avalie este artigo